Início > Uncategorized > Robin Bank e a insubmissão bancária

Robin Bank e a insubmissão bancária

1223773518_01

Insubmissão bancária é como chama Eric Duran, ou Robin Bank como ficou conhecido, a pedir dinheiro aos bancos com o propósito de não pagar. Em Setembro de 2008, publicou um texto num jornal alternativo catalão em que informava o mundo que havia pedido 492.635 mil euros emprestados a 39 bancos espanhóis e que não os tencionava pagar. O objectivo era sabotar o sistema bancário, mostrar uma forma directa de atacar o capitalismo, motivar o debate social sobre as instituições financeiras, usando os proveitos do golpe para financiar lutas pela transformação social.

O que ele propõe para o imediato é uma greve geral mundial à banca. Deixarmos de ser clientes bancários. É impraticável? A mim parece-me que a vida é que está impraticável, os 70.000 novos desempregados de segunda-feira que o digam. Se um número significativo de pessoas deixasse de pagar as dívidas e tirasse o dinheiro dos bancos como reagiria o sistema financeiro? Ou, posto de outra forma, qual seria o número mínimo necessário de dissidentes bancários para fazer colapsar o sistema financeiro?

Ao mesmo tempo, Eric Duran fala do que é preciso para que se crie uma alternativa, pela qual lutam muitos movimentos sociais: «gerar actividade produtiva autónoma, através de redes de intercâmbio, de recuperação de práticas comunitárias e de um mercado social». Ou seja, descentralizar, decrescer, autonomizar, retomar o controlo da vida, da produção, do consumo, das decisões políticas.

O acto de Duran foi arrojado, obriga-o a estar fugido da “justiça”, encontra-se actualmente exilado na América Latina, embora com um bocado de sorte os bancos nem apresentem queixa com medo da repercussão que o caso possa ter na opinião pública e do aparecimento de replicadores. Muitos revolucionários seguiram a via da expropriação bancária, os anarquistas contam com muitos casos nas suas fileiras. Este tem o mérito de criar identificação com todas as pessoas que vivem esganadas com empréstimos bancários a juros altíssimos e que já pensaram por diversas vezes o quanto melhoraria a sua vida se pudessem simplesmente deixar de o pagar.

mescalero

Anúncios
Categorias:Uncategorized
  1. 29 Janeiro, 2009 às 10:00 am

    Para que serviria a banca se todos vivesse-mos com aquilo que produzimos?
    Quanto a mim para nada.

    E se aqueles que sustentam a banca e os banqueiros se deixassem de querer ser ricos? Também não era uma boa forma de boicote?

    Os bancos são casas comerciais que vendem e compram dinheiro, ora, é o próprio sistema capitalista que os promove e nos obriga a não ter alternativas.

    Repara no ciclo do dinheiro que recebes mensalmente:
    90% dele vai parar sempre aos bolsos dos mesmos, Belmiro e Jerónimo Martins (alimentação), Amorim (gasolina), depois com a prestação da casa o restante segue direitinho para a banca privada (onde vai engrossar os bolsos de Teixeiras e quejandos), salvo se tiveres o empréstimo na CGD, mesmo aí, o teu dinheiro vai servir ainda para financiar banqueiros e empresários incompetentes, corruptos e ladrões.

    Por isso o sistema actual sufoca-nos de tal maneira que somos “obrigados” a sustenta-lo e de várias formas. Encontrar alternativas é a nossa missão.

    Abraço

  1. 11 Novembro, 2010 às 1:53 pm

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: