Início > Uncategorized > A corrupção premiada

A corrupção premiada

Há poucas semanas foi condenado por corrupção, depois de provada a tentativa de comprar o Vereador independente Sá Fernandes (por 200 000 euros) para que retirasse o processo judicial sobre o negócio das permutas do Parque Mayer por terrenos da Feira Popular, em que a BragaParques era o beneficiado deste chorudo negócio. Sobre ele pende ainda uma nova pronuncia de corrupção em Coimbra. Esta figura de que falamos, Domingos Névoa, foi agora premiado com a nomeação para Presidente de uma empresa intermunicipal de tratamentos de residúos sólidos, constituida pelos municípios de Braga, Póvoa de Lanhoso, Amares, Vila Verde, Terras de Bouro e Vieira do Minho.

A nomeação de um corruptor para liderar uma empresa intermunicipal é um insulto. Os eleitos municipais perderam toda a vergonha. Como é possível entregar a liderança de uma empresa de uma associação de municípios gerida com dinheiros públicos a uma pessoa que, precisamente, tentou corromper, quem detém poderes nos órgão do poder local, para obter benefícios para a empresa de que é o patrão principal?

Estranhamente, com excepção do Bloco de Esquerda, todas as forças políticas e principalmente o PS, PSD e CDS, que estão presentes nos executivos desses munícipios calaram-se durante muito tempo e não fosse a intervenção e o desafio de João Cravinho, o silêncio ensurdecer seria para manter.

Porque não devemos calar a nossa indignação, porque não podemos conformar-nos com actuações que ferem de morte a democracia, porque a corrupção é uma chaga que deve merecer o nosso forte repúdio e que ataca os alicerces de um país, é preciso dizer não, é preciso mostar a nossa indignação, é necessário tentar inverter a decisão e afastar Domingos Névoa da Presidência da Braval.

Deixo aqui a petição para ser assinada pelos interessados visando a destituição de Domingos Névoa.

# Fernando

Anúncios
Categorias:Uncategorized
  1. 3 Abril, 2009 às 5:12 pm

    O pior, a maleita que nos fere e corrói a alma é saber que esta “gente” continua a mover-se à nossa volta, sem que o sistema consiga de alguma forma por termo. O parasitismo, o compadrio, o beija-mão, a influência que se encontra no meio político vs empresarial é no que dá, corrupção a rodos.

    Abraço

  2. 3 Abril, 2009 às 9:43 pm

    Parece que o dito cujo, devido às pressões sofridas pela comunicação social, que desencadeou uma onda de indignação (se não fosse a tal comunicação social que afinal ainda vai tendo a sua utilidade e a espaços ainda vai cumprindo o seu papel social) se demitiu. O que custa é saber que o concluio foi tamanho que toda a gente (que presumivelmente deveria ser responsável e responsabilizada) que nele votou para a função encarou a elegibilidade de um corrupto como algo natural e banal, o que prova que este cancro social é – como eu tenho vindo a dizer e reafirmar há longo tempo – um dos principais responsáveis pelo nosso atraso social e económico.
    Uma longa batalha há a travar, pois vícios com centenas de anos não se irradicam do pé para a mão, exigindo-se uma longa e profunda transformação de mentalidades, ou então céleres e radicais mudanças, como por exemplo a restauração dos autos de fé, agora não para queimar judeus, mas para carbonizar esta seita de chulos parasitas que prevalecem à custa da podridão institucionalizada.
    Escumalha desta para a fogueira do Terreiro do Paço!

    Saudações do Marreta.

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: